quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

2011 - Tudo que é sólido, se dissolve no ar...

rio - por carolinebittencourt

Neste momento de mudança, de virada de ano, quero desejar muitas coisas boas, e algumas poucas ruins também!

Desejo que a vida seja cheia de alegrias, aventuras e conquistas suficientes para te manter ocupado e entretido por toda a jornada. Mas que ela tenha tristezas, dores e fracassos suficientes para lembrar que tudo isso aqui não é real, nem tão importante e que todas as nossas maiores realizações e glórias não passarão de pétalas jogadas ao vento. No final, tudo que é sólido se dissolve no ar.

Que você seja impetuoso e louco o suficiente para ir em direções inesperadas e fascinantes. Mas que seja também sábio o suficiente para valorizar o que merece ser valorizado. Que o seu caminho tenha claridade suficiente para você poder dar o próximo passo, mas que as trevas não te assustem, e te façam acender sua própria luz. No novo tempo, coragem e gentileza andam juntas.

Desejo-lhe certezas aconchegantes, mas desejo que você possa conviver com suas dúvidas e até mesmo amá-las... E acima de tudo desejo a você o tesouro maior, na busca do qual vale arriscar e até perder tudo o mais: O amor em Deus. Não importa se você tem ou não crença. É tempo de alimentar a fé. Seja em Deus, seja em si mesmo.

Que 2011 possa te abraçar com um calor aconchegante e que juntos possamos construir um novo tempo onde a ganância e a desconfiança não terão mais vez.
(raul neto - 2010)

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Viver ou juntar dinheiro

Max Gehringer

Há determinadas mensagens que, de tão interessantes, não precisam nem sequer de comentários. Como esta, que recebi certa vez. Abre aspas. Li em uma revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30 mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais. E assim por diante. Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas das viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei. Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis. Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na conta bancária. É claro que não tenho esse dinheiro. Mas, se tivesse, sabe o que esse dinheiro me permitiria fazer? Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade. Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro com prazer e por prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida. Fecha aspas.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

we need a name?




liberdade...

que venta no meu coração

e fuzila os sentimentos alheios


olhares que não tem profundidade,

apenas curiosidade se afogam em libertinagem


nas idas e vindas,

um sentimento vazio predomina

e deixa sem chão

a casa de valores reais.


e os imorais? a fossa e a vertigem da vida,

e os medos de qualquer ferida...

quem não sai na rua para brincar,

não pode verdadeiramente amar.


e as tormentas e guitarras,

e os freios e assentos solidários.

solos que retocam o canto,

amaciam a alma

e refrescam o coração.


e não me diga que não tem razão...
e não me digas não.

sábado, 24 de julho de 2010

Forma de Bolo


Meio irmão, amigo meu que me acompanha nas batalhas infinitas do próprio EU.
Réplica da alma que busca inconformada a áurea dos dias brilhantes, vitoriosos e complacentes.
Amigos que hei de velar, amigos que hei de morrer.

Forma de Bolo
Raul Belê

marcha a marchinha do caboclo
carequinha, do indio mameluco
e de sinhá maricotinha
todos juntos no balaio dessa vida
resolvendo alguma reza
ou arrumando uma noitinha

na pergunta que me fez naquela curva
que de escura fez-se medo
pra escola da glórinha

se nao respondo por agora, tá na hora
de manter a linha reta
pro segredo que é a minha.

passatempo, passsatempo
passalá... vem me ensinar...
o valor de quem me quer bem

Só com fermento não se vive um menino
pedregulho, bicicleta, sangue talha a juventude
jamais de velha se apaga a lamparina
que em teu sótão ilumina
de tão só tão se empoeira.

são tres ou quatro...quarto, cinco
que se vela dos amigos do balaio
pro bolo da forma veia.
se nao respondo por agora,
tá na horade manter a linha reta
pro segredo que é vida

Entrega e Tentação

o que me seduz, também é o que me fortalece.

No brilho mais intenso, a compreensão que atingir a perfeição divina em vida, é compreender as imperfeições do ser... e sobreviver as limitações sem dor.

O som batendo forte no peito.
Um pandeiro vibrando na força.

E que força... e que força...
Guiei o trabalho junto com meu amigo

ricardinho no tambor.

um pandeiro

um tambor.

Muitos mantras...

muita vida...

muita revelação...
Muita vontade de se fazer diferente...
Muita prática, já fazendo diferente...

e é esse o recado...
não perca tempo com aquilo que te derruba...
que te cansa...
que te molesta...

sorria pra esses,
sorria pra o mundo que exige sempre

muito mais do que entrega...

seja simplismente você... com fé e amor...
e que a tentação, seja sempre a força que nos motiva a superar as fraquezas...

já não preciso mais delas,

pois sou completo em minha consciência e amor...

abram alas pra gentileza...

pra delicadeza... e pro amor.
Deixe ela entrar...

pois você é reflexo daquilo que entrega...


quarta-feira, 19 de maio de 2010

Sétimo Dia

Um homem é sua Coragem

o que vale na vida de um homem se não sua coragem?
o que vale na vida de um homem se não seu bom humor?
sua maneira de interagir... de conquistar, antes mesmo de ser conquistado...
de permanecer... e estar presente, mesmo que ausente...?
 
o que vale na vida de um homem senão seu coração?
repleto de apaixão e generosidade, que nunca mediu esforços para dar ao Tênis,
esporte que mais amava, seu merecido destaque.

Este homem, que está em paz, na casa do senhor, olhando por nós,
hoje está organizando um torneio importante:

O da perseverança.
Da atitude.
Da justiça que se transformou ao longo de sua vida fonte de admiração e respeito.

suas história, seu legado, seu coração
suas lutas, vitórias... e derrotas...
das mais profundas decepções e as mais brilhantes glórias.
Tudo guardado em nossa memória.
e na do Tênis.

Raul foi um valente guerreiro que deixa muita saudade.

Este pai, avô, chefe, marido e grande amigo marcou o coração daqueles que puderam a fundo, entender o que esse bom homem veio fazer por aqui.

Hoje, sua morte nos traz a face verdadeira de um grande homem:
não é preciso temer a morte, se em vida o coração está aberto para conquistar e cativar.

Mesmo depois da morte de um cara como Raul Cilento,
é que nos damos conta de como ele permanece presente e vivo dentro de nós.
Como um espaço construído em cada momento destes 88 anos .

Cilento!
Que o zunido da borracha das quadras rápidas silenciem,
que a poeira do saibro possa finalmente ser lavada de suas meias
e que com um belo topspim o ponto seja finalizado.

Nós da platéia oramos por você, querido e amado amigo!

Fique com Deus e Olhe por nós!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

saudades

video

existem mundos lá fora que nem em sonhos eu vi,
mas o que me importa meus sonhos,
se meu mundo é todo aqui.

obrigado grande amigo
seu mundo está dentro de nós.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

direito

direita, esquerda
direita, esquerda
direita, esquerda

esquerda, direita
esquerda, direita
esquerda, direita

parou.

direita ou esquerda?
chaves na mão.

direita, molho de chaves
esquerda, chaves na mão.

pensou

direita, esquerda
direita, esquerda
direita, esquerda

esquerda, direita
esquerda, direita
esquerda, direita

parou.

esquerda, seja bem vindo.
direita, o que será que tem pra lá?

pensou...

quarta-feira, 5 de maio de 2010

retorno




andei calado

andei distante

andei por ai

andei andei andei

cansei


nadei nadei nadei

ganhei. oque?


muito mais do que porques,

eu andei. andei, ganhei, nadei.


agora eu voltei.

pra contar tudin procêis.


sabe uma novidade?

aprendi a falar andando.

e se o silencio vier novamente.

certamente não vai me encontrar parado por ai.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Rei Ogum


Nenhum filho de Ogum nasce equilibrado. Seu temperamento, difícil e rebelde, o torna, desde a infância, quase um desajustado. Entretanto, como não depende de ninguém para vencer suas dificuldades, com o crescimento vai se libertando e acomodando-se às suas necessidade

Seu maior defeito é o gênio impulsivo e sua maior qualidade é que sempre, seja pelo caminho que for, será sempre um Vencedor.

A sua impaciência é marcante. Tem decisões precipitadas. Inicia tudo sem se preocupar como vai terminar e nem quando. Está sempre em busca do considerado o impossível. Ama o desafio

A violência e a energia, porém não explicam Ogum totalmente. Ele não é o tipo austero, embora sério e dramático, nunca contidamente grave. Quando irado, é implacável, apaixonadamente destruidor e vingativo; quando apaixonado, sua sensualidade não se contenta em esperar nem aceita a rejeição. Ogum sempre ataca pela frente, de peito aberto, como o clássico guerreiro.
Ogum não era, segundo as lendas, figura que se preocupasse com a administração do reino de seu pai, Odudua; ele não gostava de ficar quieto no palácio, dava voltas sem conseguir ficar parado, arrumava romances com todas as moças da região e brigas com seus namorados.

Não se interessava pelo exercício do poder já conquistado, por que fosse a independência a ele garantida nessa função pelo próprio pai, mas sim pela luta

Assim, Ogum não é apenas o que abre as picadas na matas e derrota os exércitos inimigos; é também aquele que abre os caminhos para a implantação de uma estrada de ferro, instala uma fábrica numa área não industrializada, promove o desenvolvimento de um novo meio de transporte, luta não só contra o homem, mas também contra o desconhecido.

Força Estranha




Ele pisou no rabo do dragão, sete dias o combate durou

Sete dias de escuridão e veio a luz que tudo clareou

São Jorge, Arcanjo São Miguel, Gabriel, Rafael, Anael

Cada Arcanjo tem sua legião com a espada do Senhor na mão

Sete dias combatendo o mal, cada dia tem seu general

Rei Ogum arremata cada falha de seus filhos que caem na batalha

Sete linhas trazendo para a lei o irmão que quer se desviar

Atenção para o caminho reto, olha o rumo que tu queres tomar

Passagem

uma passagem
e dentre tanto caminhos
uma viagem
um transe, uma vida.
o mundo vai se rendendo em
seus ultimos segundos ao suspiro
dos guerreiros solares, prontos
e próprios para reerguer a macro convivencia.
homem e ambiente.na sintese mesquinha,
ha quem brigue e se mate por razao,
por terra ou religiao.
E se há algum meio, se existe aqui uma maneira,
é a da eterna esperança de se persistir tentando
brilhar diante de tanta escuridao.
sorrir é preciso, e porque nao?

segunda-feira, 22 de março de 2010

ninar

tira de lado seu cenário,
vem pra vida real fazer mistério
onde tudo parece bobagem.
na linha imaginária do improvavel,
te levo na banquinha de povas
eu nunca sei dizer o que sei
e nem sei se tenho seu sim,
nao faço perguntas que podem me machucar
num expressar de ousadia,
cruzo-me com seu olhar...
e espero ver se tem coragem de atravessar

terça-feira, 16 de março de 2010

fela africa kuti


Não muito conhecido na musica popular mundial...
ele foi o criador do Afrobeat desenvolvido no Brasil pelo Chico Science.

Fela Anikulapo Ransome Kuti, nasceu na Nigéria, na cidade de Ogun. Foi multinstrumentista e pode tocar o coração e a alma de milhares de americanos e ingleses.... levando o terreiro nagô para os anfiteatros.

Este ano, aqui no Rio haverá milhares de manifestações pró-afrobeat (pró-fela kuti) devido a Copa da Africa. Sua banda, a até então extinta Africa 70 fará shows pela cidade, trazendo a magia negra as ruas do rio.

Fela Kuti foi um mensageiro musical da nação negra nagô.

Seu CD Zombie é a demonstração de que um maracá e um tambor vibram além da linha imaginária, fisica e material da vida.

http://www.felaproject.net/


quinta-feira, 4 de março de 2010

curtinhas

ela quer se sentir foda.

ela é foda. ela quer ser bajulada,



ela quer ser bem tratada. ela pode.



não tem vergonha de ser cortejada.

gosta de atençao, é gentileza que ela quer,

é isso que ela merece.



é ela que me atrai

é ela que me distrai



perder a fala no abismo é natural

gritos de silencio por quem?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

walking panama

andando pelas ruas
eu vou andando e vou levando o tempo comigo
nao paro nas escuras (to de branco)
em movimento nao corro perigo

entre nessa
venha ser
quem é malandro
nao pode temer

guiado no caminho
céu dourado
nao abre a toa
e a solucao?

eehhh to de virada
eehhh na marcação
sem vascilar
eu tenho fé

segredo

cada vez mais esta certo que nos temos que confiar em nos mesmos
pensar sem concretizar e ilusao sem preco
nao podemos nos ociar na ansiedade
o tempo e de producao
de guerra e luta pelo que quer
tempo de se encontrar

cada vez mais esta certo que nos temos que confiar em nos mesmos
tempo.

pra frente produto

pra frente
e sempre pra frente
de olho lá. depois de depois.
indo.
luz

sem tempo de rever
e reaver. fazer!
acontecer.

pra frente
e sempre pra frente

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Cinzas, apenas coração!


Lá se vai mais um, dos mais vivos momentos do ano. Onde o coração deixa de lado os rancores, os moldes e sistemas literatos pra viver o imaginário.

A brincadeira que cruza a linha da liberdade diária para uma confraternização musical uivante. Os cantos não são tantos, mais profundamente tocam o coração dos nostálgicos brasileiros, que desejam ainda encarar a vida com romantismo.

mestre poetinha, diria que é preciso cantar mesmo ao fim desta festa carnal que transcende as cobiças animais e vive nos anseios de poder amar sem medo.

É no final que vemos o começo duro que um ano de trabalho pode nos dar. Ao lembrar de todos, pintados e bordados, loucos desenfreados, palhaços, meretrizes, mágicos e mendigos.... todos filhos da festa que celebra a vida como ela não é. Cheia de descompromisso... cheia de perdão... repleta de magia... e musica...

Que os abraços calorosos, os sorrisos estridentes, os corações apaixonados e aos demais duros que se permitem, os cantos de glória aos blocos que invadem as ruas, as casas e o nosso fígado possam finalmente marcar pra sempre o compasso mental do nosso dia a dia.

Que o perdão não seja indiferente,
E que a vida seja vida até o próximo fevereiro...
onde poderemos denovo ser todos aqueles que por medo,
não temos coragem de assumir que somos.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010


quarta terça cinza

tantos sao e fazem,
sorrisos que nos dão passagem,
para quando termina a sina de se
moldar a qualquer verdade.

nasci criança, dei trabalho,
na rua da esperança, trancei
minha novena.

de um palhaço belê,
num cai, cai, vivo morto
por acolá.

nem preto pude contestar
cena destinta, olhos pintados
brilhando alguma vida.
mas voce, porque agora negro
brilha?

morro mulher no aterro da glória,
deixando alguma memória,
mas nao fazendo historia.

bobagem é coisa pouca,
carnaval é besteira boa,
quem sabe quem vai
e quem vem,
nem tem historia pra tanto
nem tem.

domingo, 31 de janeiro de 2010

vou que vou

Já faz um tempo que é um tal de vou não vou, e seu Komandali está cansado de tanta conta.
o dinheiro acaba, e quem quer não tem.....
ter, vira ser, pra quem?

da minha janela, já vem som
vem gave, vem grau, vem belê
e você? tá sempre junto?

Complexo Edificil é um trabalho fruto de profundas reflexões, apoiadas na vida real e em seus anseios. Não há explicação por essa estrutura ser obtusa e complicada, na verdade, é a simplicidade que faz deste besouro suco um concreto de som e sonho.

meditasom!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Peneira


Instantes estantes

numa fase nova de vida, me vi arrumando meu novo quarto bem menos obliquo que o quarto que papai me deu. tem uma prateleira pronta para receber novos troféus, mas que hoje ainda estão 100% ocupadas com a causa da vitória. roupas... sapatos... terços... patuás.... relógio... despertador.

nessa onda desencachotei e me vi foleando (momento guimaraes rosa: folear, de tocar o fole... sanfonar. mesmo que safadeadamente) uma pasta antiga com milhares de poesias, letras, desenhos, indagações.... 2004, 2005, 2006... nossa quanta intensidade.

me senti um garoto louco... do tipo menino maluquinho... o mesmo que eu amava de ler quando criança. me fortaleci em esperança e busquei nas gavetas cerradas as histórias, duvidas e porques daquelas reflexões....

tanta poesia... tanta ingenuidade... tanta moleza-prazeirosa... com cheiro de pós chuva, um sol de brilho primeiro. fiquei estático pensando se poderei daqui alguns anos olhar pra tras e me ver nesse fungado-machucado tão vivo como me senti ao ler os ainda papéis feitos de madeira.

será que vale desafiar o coração a sentir uma nova vibração, mesmo que ele não entenda o compasso? e a pergunta ganha asas e eu saio da caixa e pergunto: Será que eu vou saber se devo ou não insistir? Será que a força desta boa e saudável relação é o suficiente? será que preciso mesmo flutuar e sair do chão?

minhas prateleiras não cabem troféus...
estão cheias de papéis em branco com instrumentos de escrever.
não sei se consigo carregar sem porque... mas sinto vontade de me surpreender.

Conselho de amigo

Ah, velho amigo que sina
bem pior do que morfina
do que sopro valvular

ela passa e faz graça
seu sorriso me embaraça
não consigo disfarçar

se fico sentado esperando
ou se logo me levanto
viro a pinga e vou-me
embora desse bar

se fico a imaginar
procurando algum lugar
que eu sinta e reflita
quantas vezes Deus mandar

Meu caro poeta
toque a nota mais certa
a carioca ou a vai passar

esta porta está aberta
mesmo que seja incerta
e náo saiba onde vai dar

cante todo seu suspiro
da melodia que recito
e sorrindo vou assim
te acompanhar

depois,
cante à ela essa canção
diga que é de coração
e que a vida há de cuidar.

26/12/o5

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

bussula tambor

quero construir o que está ao meu alcance
e o que quero alcançar
quero ser o melhor que posso ser
e aquele que quero ser
será que cabe mais um?
será que chega um?
qualquer...

entre materia e som
sonho e razão
qual é?

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Aqui é trabalho !

mestres
inspiração e transpiração
mestres
disciplina e devoção
mestres
vitória e derrota
mestre
força operante
busca de sí
voo

7 mares

uma força misteriosa cresce e me tem mais...
mais de mim para fazer aquilo que nunca fiz...
pra conquistar espaços improváveis.
tentar ser outrem pela curtição do desafio
de se permitir o sacrificio. e não tem certo e errado.
é só um novo caminho, um novo ponto de vista.
pra começar a entender o funcionamento das coisas
e trazer a tona um sorriso diferente, atraente e vivo.

talvez voce não entenda,
talvez não possa entender,
talvez ache besteira,
mas certamente, desta vez não haverá problema de dizer não
e dizer que não quero. que vou buscar outras braçadas
e surpreender. e por fim, só assim,
remando contra a maré, abdicando do meu estilo mais vencedor
é que aprenderei conquistarei outros mares.

agradeço 2009
vivo vividamente 2010.